Como funciona?

Pague quanto você achar que vale o serviço que você recebeu!

domingo, 13 de outubro de 2013

Dia das crianças e crueldade animal - Ecologia e o desabafo de uma bióloga...

Ontem eu estava andando de carro e visualizei um coelho branco pulando na grama perto da calçada. Desci do carro e fui ver o coelho. Perdido, sozinho, magro, sujo, sem pelo em volta do pescoço e um pedaço das costas também sem pelo: todo mau tratado! Resolvi resgatar o bichinho. Peguei ele e fui ao mercado tentar encontrar uma caixa para colocá-lo, além de comprar cenoura e alface para o bichinho comer. Chegando em casa, ele não conseguia se alimentar. Vi que ele estava com pelo embolado e sujo perto da boca e em baixo do pescoço, além de estar com falta de alguns dentes. Coloquei água em uma vasilha e ele bebeu muita, desesperado. Sabe aquela cena que você quase chora ao ver uma coisa tão simples como água trazendo um alívio tão grande a um animal que estava sofrendo? Pois é, muito triste.
Fiquei pensando então no tanto de coisa que esse coelho deve ter passado. O pescoço pelado indica que alguém deve ter colocado uma coleira nele e esta deve ter saído quando ele emagreceu. A ausência de pelo nas costas me faz imaginar que de repente ele deve ter fugido passando por baixo de algum lugar, onde deve ter deixado parte dos pelos. Ou então, ele pode ser sobrevivido a algum predador, visto que coelho é presa da maioria dos carnívoros. Posso perceber que ele realmente sofreu muito por estar magro demasiadamente, já que ele come uma grande diversidade de alimentos e é fisiologicamente preparado para armazenar gordura (gordinho) e sobreviver em condições de frio e pouca disponibilidade de alimentos. Para perder dentes, eu realmente não quero pensar no que pode ter acontecido, pois os dentes dos coelhos crescem por toda a vida dele e são muito resistentes, então deve ter sido algo realmente muito ruim. Enfim, consegui dar ração de gato  filhote para ele enquanto não consigo comprar ração de coelho, pois é domingo e não vou encontrar nenhuma agropecuária aberta. Agora ele já está bem melhor, está conseguindo beber água, comer e já até começou a fazer cocô. A tranquilidade do ambiente e melhores condições já permitem que ele tente voltar a conseguir se limpar que é uma condição essencial para a sobrevivência e saúde de qualquer animal, principalmente quando ele é presa e a sujeira pode facilitar que o predador o encontre e dificultar sua fuga.

Bom, resumindo e contextualizando. Esta postagem é para mostrar o sofrimento que se pode causar a um animal quando não temos uma guarda consciente. Provavelmente este coelho branquinho dos olhos vermelhos foi adquirido na páscoa pelo tanto que ele estava sujo e magro. E creio que dado a uma criança por estar com marca de coleira e por ter sido encontrado próximo a três escolas. Então, lembrando que o encontrei no dia das crianças, penso no tanto de animais (peixinhos, ramsters, pintinhos, gatinhos, cachorrinhos) que são dados a crianças em sorteios no dia das crianças, sem que se faça um trabalho de conscientização que aquilo é uma vida e que merece respeito e precisa de cuidado. Crianças precisam ser ensinadas a tratar bem os animais, ensinadas a ter carinho e amor com eles. E a princípio, enquanto não se criou um vínculo de amor e compreensão, não devem ser deixadas sozinhas com eles, pois muitas delas têm um espírito malvado de querer apertar, puxar, sacudir e maltratar de todas as formas possíveis estes animais que não têm como se defender nem a quem recorrer. É nosso dever cuidar dos animais e mostrar a estas crianças que eles não são brinquedos que se vendem nas lojas, que não podem ser trocados e que se você assume a responsabilidade de cuidar de um animal, deve dar o seu melhor, sem nunca se esquecer de alimentar, deixar sempre com água e compreender que muitas vezes o animal não está gostando do carinho e é muito chato forçá-lo a receber um afeto. Lembre-se que quando algum animal ataca é porque está se sentindo em perigo e muitas vezes a agressão pode ser evitada se deixarmos o animal no canto dele.

A questão ecológica: "soltar o bichinho". Gente, pelo amor de Deus: soltar o bichinho é a pior coisa que você pode fazer a ele! Solto ele não saberá onde conseguir alimento, não saberá se esconder dos predadores, não saberá reconhecer os perigos e não conseguirá abrigo! Então, se você soltar ele, provavelmente, ele vai morrer. Não importa se é um passarinho, coelhinho ou cachorrinho, você vai estar matando ele indiretamente, pois é um animal doméstico que depende de nós para sobreviver.
Agora digamos que ele sobreviva... O ambiente é ecologicamente equilibrado. Uma matemática super complexa onde a quantidade de plantas, herbívoros e carnívoros está dinamicamente em equilíbrio a fim de que este ambiente se sustente e continue existindo como uma teia alimentar que possibilita a existência de todos os animais ali. Agora imagine se você introduz inocentemente um coelho que infelizmente consegue sobreviver indo para uma ilha de Cerrado que ainda não foi devastada pela agricultura, pela agropecuária e nem pela cidade. Os animais silvestres que vivem refugiados vão ter um animal exótico no ambiente. Então, os herbívoros terão que competir com ele pelas plantas e estas por sua vez vão tender a acabar, pois elas não vão conseguir se reproduzir tão rápido quanto vai ser a alimentação do coelho e dos outros herbívoros. Assim, sem ter o que comer, estes animais vão morrer de fome. E quando isso acontecer, os carnívoros que se alimentam dos herbívoros também vão morrer. Então, no final das contas, salvando um você matou vários. 
Agora você vai falar: não é bem assim, você está sendo dramática. Bom, sou bióloga e já estudei bastante sobre ecologia. Pense no tanto que já alteramos o ambiente. Olhe para o Cerrado mais próximo e veja o tanto de capim ao lado das estradas que estão fazendo um efeito de borda e competindo com as plantas nativas do Cerrado. Pense no tanto de animais que dependiam de plantas que estavam onde está a sua casa hoje. Pense no tanto de vida que tinha exatamente no local onde você está sentado e agora só existe a sua majestosa vida. Pense na sua reação ao ver uma formiga na sua casa. Seres humanos não conseguem viver em harmonia com outros seres vivos, estamos cada vez mais encurralando toda a vida do planeta em pequenas ilhas de refúgio de vida silvestre quando na verdade não conhecemos praticamente nada de como é a dinâmica do ecossistema sem interferência do homem. E a nossa simples presença já interfere de maneira catastrófica na vida de diversos seres vivos. Você não olha para uma lagarta e pensa que ela vai virar uma borboleta e quando pensa nisso não consegue perceber que aquela lagarta depende de uma planta para sobreviver e não pensa que a borboleta vai polinizar flores fazendo com que as plantas se reproduzam. Não temos noção de como o ambiente se comporta sem a nossa espécie, mas não podemos esquecer que nosso reino é o animal e que também fazemos parte da natureza e da ecologia. 

Podemos pensar no exemplo de diversas espécies de dinossauros que entraram em extinção por dizimar as gimnospermas (ex: pinheiros) que eram o alimento deles que só alcançavam estas plantas altas, pois eles só predavam elas e não as auxiliavam na reprodução destas e depois veio o meteoro que extinguiu as outras espécies de dinossauros que tinham sobrevivido predando as angiospermas (plantas mais baixas com flor e fruto) e a partir daí as espécies que dominaram o planeta foram os insetos que polinizavam as flores e os mamíferos que dispersavam as sementes das plantas. Podemos aprender com nossos antepassados terrestres e tentar ter posturas realmente sustentáveis e não apenas fingir que nos importamos e não fazer nada real para viver de maneira mais ecológica. Plante plantas do Cerrado em seu jardim, na Embrapa eles vendem mudas e sementes, nosso bioma tem bem menos de 10% da constituição original. O Cerrado é um hotspot mundial de biodiversidade, pois tem alta taxa de endemismo (espécies que só existem no nosso bioma) e também alta taxa de degradação. O outro hotspot mundial no Brasil é a mata atlântica, que está na região sudeste que é a economicamente mais desenvolvida do Brasil. Já a floresta amazônica não um hotspot mundia, mas também precisa ser preservada. Preservado porque a natureza é importante por si só e não precisa do homem para merecer sobreviver. Entretanto: 
"Look deep into nature, and then you will understand everything better" (Albert Einstein)
(tradução: olhe profundamente a natureza e você entenderá tudo melhor)

Ps: Desculpem o desabafo, mas existem coisas que a gente precisa falar. Morrer com o conhecimento só te faz perder a chance de fazer um mundo melhor. Por este motivo eu adestro cães e dou aula para crianças. Assim, posso fazer o meu mulher para ter um mundo melhor e mais compreensivo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário