Como funciona?

Pague quanto você achar que vale o serviço que você recebeu!

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Dachshund: Duque

 O Duque foi o primeiro cão que comecei a trabalhar com a técnica e modelo de adestramento que utilizo hoje, por ver que minha influência era muito grande na casa dos meus clientes, resolvi começar a ir menos vezes à casa dos clientes para que o dono pudesse praticar mais com seu cão, assim, a obediência estaria menos associada ao adestrador e mais ao dono em seu cotidiano. Felizmente, esta nova maneira de adestrar deu muito certo e está me fazendo ter ótimos resultados, pois meu foco deixou de ser o cão e passou a ser o dono. Porém, para se fazer isso, precisa-se de muito conhecimento de comportamento canino e temos que saber como controlar o cão quando não estamos lá na casa do cliente. Estou muito feliz com os resultados que tive nesses últimos 8 meses e agora vou fazer as postagens que estou devendo aos meus clientes desses últimos tempos. Agradeço a todos pela confiança, essa vitória não é só minha, é principalmente dos meus clientes, que estão extremamente empenhados em ter cães bem educados... eu só ajudo, instruo e direciono o aprendizado que ocorre entre os cães e seus donos! Obrigada a todos!!!  Abaixo, leiam o relato do meu primeiro caso de sucesso nessa nova técnica:

Fui chamada para adestrar o Duque no dia 23/06/2012 e finalizamos o treinamento em dezembro, com apenas 16 aulas. Ele era muito agressivo e tentava morder qualquer um que quisesse se aproximar dele. Seu dono é o Pedro que gostava de fazer brincadeiras de cabo de guerra com ele e fazê-lo rosnar durante a brincadeira. Duque como um cão fiel, protegia seu dono até da irmã e da mãe que viviam na mesma casa. Qualquer um que quisesse entrar no quarto do Pedro ou tentasse se aproximar dele poderia estar sujeito a uma mordida do dominante protetor. Porém, a situação ficou mais séria quando o Pedro acabou precisando se mudar para o Rio de Janeiro a trabalho e deixou seu cãozinho agressivo com a irmã Talita e sua mãe Marli. Primeiro, as duas tinham medo de pegar nele: encostar em um cão rosnando e ameaçando morder não parecia ser algo possível, mas quando mostrei que ele não ia morder e que aquela era a maneira dele brincar, elas começaram a ter confiança em fazer carinho nele. Duque com o brinquedo na boca rosnava até se esquecer dele e deixa-lo cair, enfeitiçado pelo carinho gostoso que começava a receber de suas “novas donas”. Assim, a confiança entre eles começou a crescer, as duas bastante envolvidas no treinamento conseguiram deixar o Duque bem mais calmo e ele começou a ficar mais acessível. Fizemos treinos de obediência com os comandos senta, deita, gira, cruza, rola, buscar a bolinha e ele também aprendeu a andar junto lá embaixo sem puxar a guia... Fizemos com que ele respeitasse o limite da porta e só saísse quando fosse permitido. Também trabalhamos para que ele não subisse no sofá, mas só na poltrona dele. Foi um trabalho fenomenal, com um grande sucesso.
Abaixo vocês podem ver um vídeo da Talita fazendo truques com o Duque:
Comandos: cruza, cruza, cruza, deita, gira, gira, deita, cruza, cruza, cruza, deita, busca.

Uma das grandes reclamações que a Marli tinha era que ele fazia xixi fora do lugar e ela não gostava, então, no meio do treinamento, enquanto trabalhávamos para reduzir a dominância dele, Marli resolveu castrá-lo. Bom, a castração para o Duque o acalmou de uma maneira surpreendente, o semblante dele ficou mais tranquilo e ele ficou mais calmo. Além disso, passou a apenas fazer xixi no banheiro dele no apartamento e quase não fazer mais na rua nem no lugar errado na casa. No caso do Duque, a castração deu certo e a Marli ficou muito satisfeita com o resultado.

Para os que gostam de guarda e proteção civil, fiz um vídeo para mostrar o que é qualidade de mordida!!! Como eu já havia falado aqui, o Duque adorava brincar de cabo de guerra com o Pedro, né? Então, em um dia de treinamento, resolvi pegar a toalha dele e brincar disso um pouco... bom, me surpreendi tanto que pedi às donas para fazer um vídeo. Esta foi a segunda vez que fiz esse trabalho de mordida com ele. Sério, este cão se assemelha a um Rottweiler bem treinado pela potência de mordida, mas é tão incansável quanto um pastor malinois dos melhores... sério, vocês precisam ver. Ele só não tem tamanho!!!
Para quem não é adestrador e não entende sobre mordidas, eu quero dizer apenas que ele morde muito bem! Mas você deve estar se perguntando: mas porque você estava fazendo ele morder desse jeito? Ele não era agressivo? Bom, eu trabalhei a agressividade dele, fiz as donas terem confiança nele e este se mostrou um cão muito amável e dócil, apesar da personalidade forte. Fiz este vídeo do cabo de guerra para mostrar que não é porque um cão morde (e morde bem) que ele é agressivo. Observem que ele morde o pano, mas mesmo assim eu consigo tocar nele, cutucá-lo, encostar o pé nele, levantá-lo do chão e ele continua mordendo o pano e quando larga o pano, não vem em mim, mas fica vidrado neste. Ele não era agressivo, ele apenas gosta de morder! Se fosse agressivo, teria largado o pano e vindo para cima de mim, me atacar. Mas não, ele tinha o foco no pano! E quando eu consigo finalmente fazê-lo soltar este brinquedo, ele não vem em cima de mim para me morder nem nada do tipo, ele aceita o carinho; ele é carinhoso e não agressivo! Deu para entender? Dúvidas?

4 comentários:

  1. O Duque é MTO carinhoso agora. Ele deita de barriga pra cima e fica quietinho recebendo carinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que lindo, Talita! O Duque é um lindo mesmo. Adorei reencontrá-lo na comercial aquele dia. Está muito carinhoso mesmo...
      Bom demais vê-lo tranquilo desse jeito. Ah, e as corridas na casa do seu pai tem feito muito bem para ele, está todo musculoso e todo lindão!
      Beijão

      Excluir
  2. Bom dia, meu daschund adora morder tudo também, mas ele tem um fascínio pela minha mão! E não consigo faze-lo parar a nao ser magoando-o. Ja tentei de tudo aos meus conhecimentos, dar outro brinquedo pra ele desviar sua atenção, mostrar a palma da mao pra ver se ele me da a patinha (ele da a patinha quando quer comer) mas ele so respeita o 'pai' dele, meu noivo, pois ele fala grosso e desde que o daschund era pequeno dava pequenas mordidas 'para mostrar quem mandava' e o dende (nome dele) obedece-o. Mas eu cheia de do nunca achei que ia precisar e agora nao o controlo. O que faço?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Cristiane. Neste caso, teremos que fazer um trabalho de adestramento, não existe atalho. Risos.
      Entre em contato pelo telefone 9661-1821 para saber um pouco mais sobre como o serviço funciona.

      Excluir